Momentos difíceis

23 ago

Certa vez li algo que me chamou atenção, a pessoa dizia que ao contrário do que se pensa é nos momentos alegres que descobrimos quem realmente é nosso amigo pois só os amigos verdadeiros resistem à nossa felicidade, pessoas para enxugar nossas lágrimas e “chutar o cachorro morto” sempre existem. Achei interessante e até concordei em partes, mas hoje reforço a idéia de que nos momentos de crise algumas pessoas se acovardam.

Em todos os momentos difíceis da minha vida me vi sozinha, perdi amigos e namorado quando estive em depressão,  enfrentei praticamente sozinha a quase separação quando o Dori adoeceu, só contei com a minha família (leia-se pai, mãe, marido e cunhada) quando perdemos nosso bebê, me decepcionei várias vezes com pessoas recorrentes em todas as vezes que precisei de ajuda, seja com câncer da minha mãe, nas vezes em que o Dori precisou me deixar sozinha com a locadora e em tantas outras que realmente precisei.

Neste fim de semana não foi diferente, acordei ontem cedinho com o telefone tocando e a notícia de que uma tia querida havia falecido, não foi nenhuma surpresa já que ela estava há dias internada e os médicos já tinham deixado a família informada sobre a situação, mas foi doloroso, difícil e inacreditável, embora a família da minha mãe seja numerosa e todos os irmãos estejam avançando na idade esta foi a primeira morte em quase 30 anos, depois da minha avó, que morreu pouco antes de eu completar um ano ninguém mais tinha nos deixado e o fantasma já não incomodava ninguém até chegar assim de sopetão e levar a irmã mais pitoresca de todas. Há alguns dias eu já ficava nervosa com telefonemas tarde da noite ou de manhã cedinho, e mesmo assim ontem  quando ele finalmente se confirmou fiquei angustiada e fui correndo ver minha mãezinha, sabia que seria difícil para ela e depois de tudo o que ela já passou e vem passando nos últimos tempos ia precisar de muita força.

Desde as 8h da manhã de ontem até o fim do dia e hoje até agora a pouco fiquei com a minha mãe, ela não me pediu ajuda ou companhia, não me pediu para cozinhar ou organizar nada para ela, não pediu que eu viesse embora com ela antes do enterro para que ela fosse poupada, não pediu que eu chorasse com ela ou fizesse piada para distraí-la, eu o fiz porque era meu papel, como filha, como pessoa, eu tinha que estar ali porque é o que as pessoas que amam fazem, apoiam e estão lá.  Minhas irmãs também estavam lá ontem, minha cunhada que nada tem a ver com a minha mãe fez questão de passar antes de seus compromissos e dar uma abraço, chorar junto com ela nem que fosse por 5 minutos, o Dori foi meu alicerce e meu amigo nesses 2 dias difíceis, mas como sempre houve dessa vez pessoas que não estiveram ao meu lado, ao lado da minha mãe ou da minha família, pessoas que sempre fazem parte dos momentos de discontração, das risadas e dos almoços da felicidade, pessoas que são figuras apenas de álbuns felizes mas que são ausências recorrentes nos momentos de crise, tudo bem cada um tem sua vida, suas prioridades e escolhas e o direito de se privar do que bem entende e com isso claro também planta atitudes que geram consequências para serem colhidas depois, não sou uma pessoa vingativa ou do tipo que só faz por quem faz para mim, ao contrário disso sou patidária do “fazer o bem sem olhar a quem”, mas acredito que tudo o que fazemos reflete em algum momento no que receberemos da vida.

Hoje em um domingo cinza, frio e triste, com os pés machucados sem nem poder calçar um sapato cozinhei novamente para minha mãe, me sentei na mesa com eles como em todos os domingos e tentei confortar mais um pouquinho minha amada mãezinha, aparentemente só eu tive essa idéia, só eu lembrei que a dor dela não foi embora com a noite e que ontem foi só o início de uma saudade que ainda vai doer muito até virar uma lembrança e com certeza estarei lá até que esse momento chegue…

Anúncios

3 Respostas to “Momentos difíceis”

  1. Ana Luísa agosto 23, 2009 às 8:10 pm #

    Ah Di, é terrível isso mesmo. Tem gente que foge qdo mais precisamos, e outras fogem qdo estamos felizes.. Fazer o q. Cada um pensa de uma forma.. Só as mais verdadeiras é que ficam juntas em todas as horas
    ;D

  2. Lindsay agosto 25, 2009 às 10:37 am #

    Olá!
    Caí no seu blog meio sem querer. Também tenho uma história de vida bem dificil.
    Uma vez uma pessoa me disse que os melhores filhos são os mais sofridos. Os melhores amigos são aqueles que apanharam bastante da vida.
    Não tenho mais família mas tenho poucos amigos preciosos comigo.
    Cuide de quem vc ama se assim o quiser.
    Vc pode até se sentir só mas bem lá no fundo do poço aposto que sempre alguém lhe estendeu a mão lhe oferecendo ajuda.
    bjs e boa semana

  3. dani faxina agosto 26, 2009 às 10:11 am #

    Oi Di
    Quanto tempo…
    Pena estar te visitando num momento bem difícil..
    Mas, a vida é assim..ajudamos e somos ajudados.
    E com isso nos fortalecemos e podemos d enovo seguir sendo amparo aos queridos.
    beijos e tudo de bom prá ti!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: