Sobre as falsas verdades…

25 maio

Como todas as experiências de nossas vidas a maternidade / paternidade também é algo muito particular, cada fase da gestação à criação de um filho são vividas de maneira diferente por cada um de maneira diferente, porém existem algumas verdades absolutas propagadas por aí e é sobre elas, ou sobre como não são ão verdades assim, que quero falar. Assim que recebi o resultado positivo no exame de sangue comecei a temer os enjôos, a esperar os desejos, o sono, as idas frequentes ao banheiro, posso dizer que se não fosse pela barriga que cresceu, cresceu, cresceu não tive nenhum outro sintoma de gravidez, no final é que tive os temidos inchaços e a bexiga cheia constantemente por conta da barriga, mas não enjoei, não dormi de mais nem tive desejos, aliás nem comer de mais comi, tive uma gravidez tão tranquila que passou rapidíssimo e sinto muita falta dessa fase. “Durma agora porque você não dormirá mais quando o bebê nascer”, quem não ouviu isso na gravidez? Eu ouvi e muito e não dormi quase nada no fim da gravidez, tive muita insônia por conta de dormências e de idas ao banheiro, sem falar nas minhocas na cabeça pensando se o filhote nasceria perfeito, se eu morreria no parto, coisas que posso admitir hoje já que tudo correu perfeitamente. Sobre o parto existem várias verdades absolutas, que parto normal dói, que cesárea tem uma recuperação terrível, traumatiza, que seu seio com certeza vai rachar e você vai sofrer e seu filho vai chorar o tempo todo e você não vai dormiu a noite toda, bem sobre isso tudo posso dizer que comigo muita coisa foi diferente, como já disse antes não tive meu parto normal que queria e me sinto um tanto frustrada mas não pela cesárea e sim exclusivamente pela experiência que não tive, fora isso a cirurgia foi tão, mas tão tranquila que não tenho nada do que reclamar, não tive dores, não tive problemas de cicatrização, não sofri na recuperação, pelo contrário, queria fazer tudo sozinha e levava puxões de orelha o tempo todo, não sei se fui mais forte que as mulheres costumam ser mas não tenho nada a falar sobre a cesárea, foi bem tranquilo mesmo. Sobre o meu filhote também não tenho do que reclamar, aliás acho que toda mãe deveria ser informada que o recém-nascido dorme muito, quase não chora e é tranquilo, só que isso passa e eles ficam mais tempo acordados, aprendem que quanto mais alto chorarem mais rápido a gente atende e se entediam facilmente. O Nicolas sofreu nos primeiros dias com cólicas mas depois disso foi um amorzinho, acho que toda mãe deve dizer isso mas meu filho é bonzinho, acorda de madrugada mas dorme logo que acaba de mamar e eu claro durmo novamente também, perco no máximo uma hora por noite e hoje não faz diferença no meu dia, já acostumei de um jeito que acordo antes dele. Amamentar então foi intuitivo, tivemos dificuldade com um dos seios mas não tive rachaduras, leite empedrado, nada disso, é um momento de prazer e amor tão grande que quero amamentar por um bom tempo ainda, tinha muito medo de não dar certo, de não ter leite, de não conseguir mas como todo o resto a amamentação está sendo uma benção tão grande que não posso reclamar. Aí vocês me perguntam, mas não tem nada de errado e difícil na sua experiência de maternidade? Meu filho não dorme a noite toda, ele tem crises de choro de vez em quando, ele teima em dormir comigo em algumas noites, está começando a ter crises alérgicas e não sei quando o colocarei dormindo no seu quarto, mas quer saber? São dificuldades e contratempos que servem para que a gente aprenda, para a vida não ficar tão chata, para nos sentirmos humanos, afinal ser tudo quase perfeito é gostoso, se fosse perfeito seria chato!

Ah e não, a maternidade não atrapalhou meu casamento, a gravidez não esfriou a relação e o filho não é necessariamente um obstáculo para a vida sexual, digamos que as coisas não são iguais mas não necessariamente ruins, por aqui estamos cada dia mais juntos, mais unidos, mais felizes!

Quem se atreve a reclamar disso aqui?

Anúncios

5 Respostas to “Sobre as falsas verdades…”

  1. Ana Luísa maio 25, 2011 às 4:45 pm #

    Mas está cada dia mais fofo esse NicoLINDO, como você mesmo diz! Dá vontade de morder as bochechinhas! E concordo com você, Di! Tudo na vida tem suas dificuldades, mas não tem nada que olhar esse bebezinho não faça valer a pena né?
    Eu nem mãe sou e já imagino qual deve ser a emoção!
    Beijos!

  2. Marcia Pergameni maio 26, 2011 às 10:30 am #

    Oi Diana, obrigado por deixar sua impressão sobre as fraldas lá no blog. A que eu mais amo é a total confort com aquela centopéia linda!!!!! Mas não é sempre que eu compro, opto pela Monica ou supersec que estão sempre mais em conta. Só a Jonhson que não gostei muito, mas usei pois ganhei né!!!
    Seu filho é uma graça de lindo!! E lá em casa nada esfriou tb não!! bjus

  3. schefel maio 27, 2011 às 2:35 pm #

    comigo foi tudo bemmm diferente heheh esperava uma linda e romantica maternidade e ela veio cheia de espinhos… q ate hj lidamos, mas sempre brinco que eu fui premiada, ganhei na loteria, nem todas as criaças dormem a noite toda e nem todas choram a noite toda, mas algumas pessoas ganham na loteria hahah
    o importante eh aprender a lidar e aceitar as modificacoes da nossa vida, e sempre seguir nossos instintos!!
    #amigacomenta

  4. Daniela agosto 4, 2011 às 7:56 pm #

    Não dá pra reclamar dessas bochechonas mesmo!
    Tá lindo!!
    Beijos

  5. claudiana Duarte agosto 10, 2011 às 10:56 am #

    Parabens pelo filhote.Lindo.Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: