Tag Archives: Comportamento

Uma questão de educação

20 set

Hoje num daqueles almoços-caos de família discutíamos a quantas anda nossa juventude depois que minha irmã de 16 anos nos mostrou uns vídeos impublicáveis em seu celular, sendo um desses gravado por alguns meninosteen e uma menina supostamente da nossa cidade fazendo uma suruba ensandecida. Papo vai papo vem, opiniões diversas, veneninhos destilados e o consenso a que todos chegaram foi de que a juventude está perdida, que a meninada de hoje não se respeita e não valoriza os (para eles antiquados) bons costumes e de nada adianta argumentar pois eles não tem mais jeito.

Expus a minha opinião teórica, já que como todo mundo diz eu não tenho filhos e não sei como é, sobre educação e respeito e as coisas nas quais acredito sobre o assunto e vim para casa pensando, será que todo mundo tem razão e essa molecada simplesmente é assim e não tem jeito? Será que nasceram com um gene da má educação ou existe uma epidemia de falta de juízo por aí?

É verdade que os tempos são outros, os valores morais  estão sempre mudando, a maneira de se ver o sexo também (vide a geração paz e amor dos anos 70), o meio se transforma e as prioridades de hoje são diferentes das de ontem, mas certo e errado sempre vão existir e não consigo encontrar outra maneira de se distinguir um do outro corretamente senão através de uma boa educação, concordo que a juventude anda meio desacreditada, acredito que o acesso fácil à muita informação faz com que eles não se interessem por nada a fundo, a falta de um ideal tem transformado as gerações atuais em seres menos pensantes que as anteriores mas não consigo achar um motivo seja externo ou interno que não a educação que atue na formação do caráter de cada um.

Não acho que a vida seja uma receitinha de bolo, você tem um filho dá amor carinho e atenção, tudo o que pode para ele e quando ele crescer será tudo o que você sonhou e te dará apenas orgulho, infelizmente não é assim que a banda toca, mas na minha humilde, otimista e ingênua opinião quando se dá uma educação baseada no respeito as chances das coisas darem certo são bem maiores.

Como já disse e todo mundo sabe de cor não tenho filhos, nunca os eduquei nem sei se os terei um dia e se conseguirei educa-los como imagino, mas quero pelo menos tentar construir na minha casa um lar onde a palavra de ordem seja o respeito, onde cada indivíduo seja respeitado como ser humano que é em uma via de mão dupla onde se respeita para ser respeitado, claro que sei que terei problemas, que sei que passarei noites em claro pensando onde errei para aquele pirralho(a) estar agindo daquela forma, mas sei que se der aos meus filhos a educação que recebi dos meus pais eles podem até aprontar, errar, bagunçar mas saberão exatamente o que estão fazendo e que suas atitudes terão conseqüências.

Quanto a juventude de hoje estar totalmente perdida, eu não acredito nisso não, enquanto alguns nos deixam desacreditados como a meninada do vídeo que mencionei lá em cima também vejo a outra ponta da história como minha querida amiga Ana Lu que com pouca idade tem maturidade e uma educação que não tenho visto em muito macaco velho por aí e que é meu exemplo de jovem hoje em dia, é acho que eles tem jeito sim, só precisam mesmo de limites e claro respeito.

Homem X Mulher, amigos?

29 maio

Sempre fui o tipo de meninas que me dava(no bom sentido claro) melhor com os meninos, sempre tive amigos com quem me sentia melhor do que com as meninas, talvez por não ter disputa, por não repararem na cor dos cabelos ou na marca da roupa, talvez por achar divertido vê-los falando de nós mulheres, não sei, o fato é que sempre tive afinidade com o clã masculino, coincidentemente o Dori (meu marido) tem uma facilidade enorme para fazer amigas, o que de certa forma nos aproximou na época da faculdade, o fato é que apesar de termos isso em comum sempre ouvi dele que homens na sua maioria não se aproximam de mulheres com a intenção de fazer amizade e a recíproca claro também é verdadeira, sempre ouvi muita bronca por ter apenas amigos na época, embora fossem também amigos dele, do tipo que frequentavam nossa casa, ele sempre achou que não era algo legal.

Eu particularmente acho que há casos e casos, sempre existem pessoas querendo se aproveitar de um momento de carência do amigo (a) para tirar uam casquinha, mas acho que isso também depende do quando você abre as portas para que aconteça.

A questão é, qual o limite para uma simples amizade entre homens e mulheres, qual o limite da intimidade, é possível termos esse tipo de relacionamento e isso não afetar um casamentos ou namoro?

Pergunto isso porque eu sou muito ciumenta e insegura, possessiva até, mas sei respeitar quando o Dori tem uma relação profissional ou mesmo de amizade com alguma mulher, da mesma forma fico furiosa quando acho que passa do ponto, mas qual seria esse ponto afinal? Será que eu exagero ou as coisas nem deveriam chegar a isso, homem (ou mulher) casado (a) não pode ter amigos do outro sexo em hipótese alguma? Definitivamente não sei.

Eu mudei muito depois de casar e em boa parte por inicitiva própria, as vezes até ouço que me fechei de mais pois nem com as amigas tenho conversado direito, mas sei lá, não acho que seria legal um amigo da época de solteira ligar aqui em casa para bater papo e o Dori atender, da mesma forma que não procuro hoje fazer novos amigos homens, inclusive no ambiente da internet não acho legal dar muita intimidade e muita liberdade para um amigo do sexo oposto, converso até com alguns homens que têm em comum o ramo de videolocadoras e apesar de nos considerarmos amigos nunca nenhum deles soube o que se passa dentro da minha casa, da minha vida, é uma questão de respeito, sempre penso que não faria algo com o outro que não gostasse que fizesse comigo e assim vou permeando meu comportamento de mulher-direita-casada, mas será que é egoísmo eperar o mesmo do parceiro em suas relações?

Não sou uma maníaca a lá Sílvia não, acho que temos que manter as relações pessoais, antigos e novos amigos, é saudável, volta e meia aparece alguma antiga amiga do Dori no orkut e eu nunca vou implicar com ele por ter vivido antes de me conhecer, da mesma forma que ele não o faz comigo, mas também acho que o meu marido não precisa saber o ciclo menstrual de outra mulher que não seja a dele, na verdade algumas intimidades eu não teria com amigo nenhum mesmo que fosse solteira, é uma questão de bom senso, de ser dar o respeito mesmo, mas cada um tem sua ética, seus parâmetros para o que considera exagero ou não e é aí que a coisa complica porque o que você pode achar super normal a esposa (marido) do seu amigo (a) pode achar um desfrute e é desses limites que estou falando, onde acaba a sua liberdade e começa a intimidade de um casal, é muito complicado avaliar o que é certo ou errado nessas situações, já vi por exemplo mulheres ficarem furiosas por eu cumprimentar seus maridos, da mesmo forma que outras não estão nem aí se o marido sai para jantar com a mais nova amiga, até o meu critério de não fazer com o outro o que não queria que ele fizesse é relativo porque de repente a pirigueti que é folgada com o marido alheio não está nem aí se o dela sair à caça.

Mas como disse várias vezes acima tudo se resume a respeito, se as pessoas se respeitarem tudo fica bem, sem estress, sem problemas, sem saia justa, porém o que mais falta hoje em dia entre as pessoas é respeito e humildade principalmente quando é preciso reconhecer os próprios erros, eu confesso que muitas vezes acabo agindo no egoísmo e querendo que as atenções só para mim, mas como disse, se houver respeito as coisas sempre se resolvem, mas quando este falta a coisa complica, se você não respeita o outro perde totalmente a moral diante dele, se você não se dá o respeito diante de alguém não tem o direito nenhum de exigí-lo mais tarde.

Vou dizer uma coisa, relacionamentos de qualquer forma são extremamente complicados, eu desisti de entendê-los, aliás desisti de entender a nós, seres-humanos, o bichinho estranho o tal do homem, mas infelizmente precisamos sempre tentar conviver da forma mais pacífica possível.

P.s.: Faz tempo que queria escrever um pouco sobre comportamento, estava deixando esse assunto e esse post para mais tarde mas estou com alguns planos meio mirabolantes e esse mais tarde poderia virar muito mais tarde, e aí ia acabar perdendo a inspiração, mas de qualquer forma quero entrar em outros temas meio contraditórios que se fazem os meus macaquinhos trabalharem dentro da cachola deve acontecer com mais alguém também, enfim, aguardem mais posts do estilo e novidades para frente!